Notícias

Sesi, Sinduscon e Ademi beneficiam trabalhadores da Construção Civil

Quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Saúde, lazer, cidadania e educação foram os pilares das atividades

Foram 4.568 atendimentos e 2.050 pessoas beneficiadas. Esses são os números do Dia Nacional da Construção Social, em Maceió. As atividades, realizadas na Vila Olímpica Albano Franco, no bairro da Cambona, envolveram saúde, lazer, cidadania e educação voltadas para os trabalhadores da construção e seus familiares.

O evento, que tem a parceria do Serviço Social da Indústria (Sesi), foi promovido no último sábado, 18, na Vila Olímpica Albano Franco (Cambona), pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-AL), Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-AL) e Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

“Essa ligação do empresário com o trabalhador é importante. É um momento em que os trabalhadores se sentem valorizados. O evento é feito totalmente para eles, por isso, que tem essa importância. O Sesi não pode deixar de estar presente porque tem essa missão de contribuir para a indústria e apoiar ações que envolvam as empresas e seus trabalhadores”, disse Ana Paula Andrade, assessora técnica do Sesi.

No evento, foram oferecidos atendimentos médico e odontológico, fisioterapia, psicologia, vacinação, medição de IMC e aferição de pressão arterial. Também foram ofertadas aos participantes oficinas de empregabilidade e a final do Campeonato de Futsal da Construção Civil. Para as crianças, brinquedos, distribuição de lanches e sorteio de brindes, além de torneio de futebol infantil.

Os dois eventos que mais interessaram ao público e geraram muita alegria foram o concurso Talentos da Construção e o Casamento Coletivo, com a oficialização de 66 uniões, no civil.

Quem comemorou bastante foi o Flávio Santos, conhecido como “bem-te-vi”, da Delman Construções. Ele venceu o concurso de talentos ao se apresentar com a canção “Sou seu fã”. A dedicatória foi para a esposa, que estava na primeira fila da plateia.

“Cantar para tanta gente... No começo, dá aquele nervosismo, porque quando a gente canta a gente tem que se inspirar na letra da música e no que ela está falando. É um momento de reflexão, de sentimento. Quando você canta você tem que colocar o sentimento naquela canção”, falou, emocionado.

O Dia da Construção Social foi encerrado com a cerimônia de casamento coletivo, com a oficialização de 66 uniões.

Compartilhe: